Feeds:
Posts
Comentários

Compromisso público

É incrível como algumas vezes nós perdemos nosso foco. Isso aconteceu comigo nesses últimos três meses e ainda bem que tenho “O Plano” para me recolocar na direção correta. Nesses últimos três meses minha vida mudou MUITO. Comecei uma nova fase profissional onde conheci muitas pessoas que valem a pena, minha madrinha foi pra UTI, terminei um namoro de 9 anos, viajei muito, fiz vários mergulhos e comecei a freqüentar a política e entender como algumas coisas funcionam. Agora chega de desculpas e vamos ao que interessa!

Compromentimento e compromisso

Compromisso é em linhas gerais uma obrigação; Comprometimento é a qualidade de ater-se às escolhas feitas. Entendeu? Uma pessoa compromissada é aquela que tem muitas obrigações, uma pessoa comprometida é aquela que vai até o fim em suas obrigações! (Mais fácil assim)

Uma das maneira que eu uso para me motivar a fazer as coisas, é falar para todo mundo o que eu vou fazer! A não ser que você seja político não de valor a sua palavra, o que você diz deve valer alguma coisa. Quando eu digo a todos que pretendo entrar na Direito São Francisco (USP) este ano, crio (pelo menos para mim) uma obrigação de me empenhar para atingir este objetivo.

Mas e se eu não cumpro minhas promessas?

As pessoas precisam aprender a ter “Palavra de Homem” (coisa do meu pai) se você se comprometer a sair com seu amigo num domingo chuvoso a noite e pra um lugar que você odeia, VÁ SAIR COM O SEU AMIGO; Mas e se aquela loira linda e gostosa te chamou de última hora? VÁ SAIR COM O SEU AMIGO!!! Primeiro que a loira vai perceber que você não é um cachorrinho adorar sua postura e ficar intrigada do por que você a rejeitou (e vai querer você de novo!), segundo porque você não deixará seu amigo na mão!

E ai, o que você quer fazer esse ano?

Vá fundo, me diga seus planos, comprometa-se!

Anúncios

6 Por ques

As pessoas tem o costume de se eximir de suas responsabilidades e acabam culpando os outros pelas suas falhas. Essa característica, além de ser indesejável, é perigosa.

A culpa é minha e eu coloco em quem eu quiser!

Lobão

O problema é que ao culparmos os outros pelos nossos defeitos, acabamos achando que não podemos fazer nada pra solucioná-los.

Para resolver isso, utilizo o método dos “6 Por ques”: Identifique um problema e se pergunte o porque dele, e o porque de suas respostas por 6 vezes (a maioria das vezes a resposta vem em menos). O importante é ser sincero.

Problema: Eu chego atrasado no trabalho.

Por que 1: Porque pego muito trânsito. (Resposta mais cômoda culpando outra pessoa)

Por que 2: Porque saio de casa num horário péssimo e geralmente atrasado.

Por que 3: Porque gosto de dormir até tarde.

Por que 4: Porque vou dormir muito tarde.

Por que 5: Porque tenho muita coisa para fazer em casa.

Por que 6: Porque trabalho nas minhas idéias, freelance, tenho que arrumar minha bagunça, tenho um cachorro que precisa passear, vou a academia e preciso de um tempo pra me distrair.

Analisando a resposta:

Eu chego tarde no trabalho porque trabalho nas minhas idéias, freelances, tenho que arrumar minha bagunça, tenho um cachorro que precisa passear, vou a academia e preciso de um tempo pra me distrair.

Solucionando o problema

Fica claro que o problema não é o trânsito, mas os meus hábitos. O problema básico aqui é ter muita coisa pra fazer em pouco tempo. Talvez eu tenha que fazer menos freelances, trabalhar em menos idéias, ser menos bagunceiro, me livrar do cachorro (que está sendo considerado fonte de problema e não de diversão), ficar menos na academia, e reduzir o tempo de diversão e trânsito. Uma agenda de horários já serviria para resolver esse problema.

Algo do tipo:

17:00 – 18:00 = Dirigir até a academia perto de casa (o trânsito nesse horário é melhor do que das 18:00 as 20:00)
18:00 – 19:00 = Academia
19:00 – 19:30 = Voltar pra casa e passear com o cachorro
19:30 – 20:00 = Banho
20:00 – 20:30 = Jantar
20:30 – 21:30 = Idéias e freelances
21:30 – 22:30 = Tempo pra mim e arrumar bagunça se necessário (primeiro a obrigação e depois a diversão)

Iria dormir umas 23:00 e não seria tão difícil acordar as 06:00. Lógico que esse plano deve levar em conta que eu não serei MUITO bagunceiro 😀 Mas se eu o for, estarei perdendo meu tempo de diversão.

É bem mais fácil estipular e seguir uma agenda do que arrumar o trânsito de São Paulo. A solução do problema sempre esteve em minhas mãos.

Tentem fazer isso com os seus problemas

Fonte: Minha cabeça e um post muito antigo do site www.iwillteachyoutoberich.com/

Barreiras

Nossa, faz quase um mês que não consigo parar para atualizar esse blog. Mudei de trabalho, comprei um Playstation 3, estava treinando hockey e voltei a tocar bateria… em resumo: Estava com outras prioridades. Mas vamos ao que interessa:

Esse post faz parte de uma série de posts que vou elaborar sobre os nossos vícios e como superá-los (ou usá-los a nosso favor). Além disso é obrigatória recomendo a leitura do post sobre a identificação de problemas com o método dos “6 Por ques“.

O que é uma barreira?

Segundo o pai dos burros dicionário:

subst f barreira [bɐ’ʀɐjrɐ]

1 construção que impede o acesso
   A polícia montou uma barreira.
2 obstáculo
   Ele corre saltando barreiras.

Barreira é algo que te impede de seguir seu curso natural. Em nossa vida utilizamos barreiras todo o tempo: “Não posso estudar porque tenho filhos”, “Queria fazer exercícios, mas a academia é longe” e geralmente utilizamos as barreiras de modo improdutivo, impedindo que façamos algo bom no longo prazo e que permaneçamos em nossa zona de conforto.

Usando a barreira a seu favor

A barreira por si só, não é algo ruim. Ela pode nos impedir de continuar um mal hábito e pode nos tirar de nossa zona de conforto.

A arte é identificar as barreiras ruins e removê-las, bem como criar barreiras boas.

Quando eu era criança, era proíbido ver TV por mais de 2 horas. Esta foi uma barreira que minha mãe impôs para que eu pudesse disfrutar de outras atividades na minha infância. E este é um dos exemplos mais fáceis de visualizar.

Após um tempo, na adolescência, eu me apaixonei fiquei afim de uma garota na escola, mas eu me achava pouco caminhão para toda aquela areia e nunca fiz nada (eu até fiz, mas demorei pacas). Eu criei uma barreira psicológica que me impedia de falar com a garota por me achar um bosta não me achar bom o suficiente.

Após utilizar o método dos 6 Por ques e identificar o raiz do problema, tente colocar uma barreira para impedir que esse problema persista. E tente verificar se as barreiras que você tem hoje, realmente são barreiras ou é só comodismo.

Ao invés de comprar um monte de bolachas, salgadinhos, biscoitos, macarrões instantâneos, refrigerantes, pizzas e lasanhas no mercado, compre filet de frango, cenoura, beterraba, arroz e sucos. Quando você chegar do trabalho e ver que não tem as guloseimas, vai acabar comendo melhor e melhorando sua saúde… sempre que você quiser comer uma besteira fora do horário permitido(fim de semana), vai lembrar que vai ter que por uma roupa descente, sair de casa e ir até o mercado comprar as coisas. Na sexta, você passa no mercado e compra as bobagens do fim de semana.

Uma barreira que eu uso é, para evitar as compras por impulso, deixar o talão de cheque e os cartões em casa. Quando bate aquela vontade de “Eu preciso e mereço isso!”, eu tenho que ir até em casa, pegar o talão, normalmente dormir, e só no outro dia efetuar a compra… e geralmente eu acabo não comprando.

E você, tem alguma barreira interessante? Deixe sugestões nos comentários.

Fonte: Post do Ramit no site GetRichSlowly

Homenagem a Ilha da Madeira

Como alguns dos meus leitores sabem, a família do meu pai é da Ilha da Madeira. É uma ilha minúscula de 750km2, metade da cidade de São Paulo, 250.000 habitantes e que fica próxima a Costa Africana, a 1.000km de Lisboa.

Uma ilhota no meio do Atlântico

Eu tenho o sonho de ir mergulhar por lá, como dito no meu post sobre o curso de mergulho, mas não foi isso que me fez escrever essa homenagem.

No dia 20 de fevereiro de 2010, um conjunto de eventos climáticos causou uma mega-tempestade que passou pela ilha destruindo tudo (Presságio de 2012?). A água de 6 meses veio de uma vez, e o pior, a Ilha é basicamente formada de pedras (inclusive a praia é de pedra) e essas pedras foram carregadas com as chuvas. Uma imagem vale mais do que mil palavras (Clique nas imagens para ampliar):

É uma avenida, não um rio.

Isto também não é um rio

Isto também não é um rio.

O mar se juntou com a cidade

O Resultado

Depois da tempestade, 42 mortos e não sobrou muita coisa inteira:

Cara!! Cadê meu carro?


Não é um ferro velho.


O que os “Portugueses”  fizeram

O que me gerou essa homenagem, foi que eles não ficaram esperando ajuda da ONU, se lamentando ou culpando alguém. A principal atividade da Ilha é o turismo, então, eles pegaram vassouras pás e  reorganizaram grande parte da ilha em 3 dias.

E agora?

E-Mail de um familiar português para mim

Acreditem ou não, o Funchal está a ressuscitar, Madeirense é bem … no bom termo da palavra!Há 72 duas horas as zonas retratadas eram um perfeito desastre. Aqui não estão documentadas zonas de danos estruturais no Funchal, tão somente áreas que estavam cobertas de pedrugulhos, lamas, entulhos, animais mortos, paus, etc … que já foram removidas. Fotos desta tarde. Na imagem da rotunda ainda se vê um amontoado de terra que não deixa passar eventuais escorrimentos pontuais. Agora o contra relógio é com a previsão de chuva forte para quarta e sexta feira. As ribeiras têm que estar sem entulhos e pedras … o desafio é grande. Ajudem a difundir uma boa imagem.Então? Vão à esplanada?

Fica a mensagem: eles estão se recuperando, a vida continua e esperam que os turistas continuem visitando a Ilha, que é considerada um dos lugares mais bonitos do planeta.

Parabéns Madeirenses

Os nossos vícios

Por que será que tendo um objetivo claro, um plano para alcançá-lo e todos os outros recursos, muitas vezes não conseguimos?

Todo fim de ano, prometemos organizar as finanças, gastar menos dinheiro, comer melhor, parar de fumar, se exercitar, visitar aqueles parentes distantes… Toda segunda começamos regime que acabará na sexta a tarde. E como várias promessas que nos fazemos, acabamos não conseguindo cumprí-las. Por que não conseguimos??

A primeira coisa que vem na cabeça é: “Simplesmente não consigo”, e eu pergunto: “Por que?”. Uma das respostas a essa pergunta é que somos mimados e não temos comprometimento com a gente.

Quantas vezes não guardamos dinheiro, porque não sobrou nada no final do mês? Quantas vezes largamos o regime porque não resistimos aquela pizza de 4 queijos borbulhando?

Nós queremos prazer e queremos agora! Não nos importamos com o longo prazo. Você quer trocar de carro, você acredita que merece isso, e pra isso entra num financiamento de 3 anos, e abre mão de ter dinheiro para investir no seu negócio.

Como solucionar isso?

Precisamos achar a causa do problema. Por que procrastinamos, ignoramos o longo prazo e somos tão imediatistas?

O ser humano age por impulso, e todos os marqueteiros e vendedores sabem disso. Eles te obrigam a tomar decisão no momento, sem pensar, eles criam uma necessidade em você que geralmente você não tem: “Compre AGORA e ganhe 30% de desconto!”, “Você ficou ÓTIMA com essa roupa, TEM que estar levando levar ela, é a ÚLTIMA peça”, “Sundae de morango acompanha?”

Pior do que ser manipulado pelos outros, é ser manipulado por você!

“Hoje trabalhei o dia todo, então não vou arrumar o quarto: Vou ver TV”;

“Finalmente fechei aquele projeto, mereço uma roupa nova”;

“É díficil chegar em casa, sabendo que o colesterol está alto, e recusar aquele Filet à Parmegiana com fritas em cima da mesa. Mas é só hoje, no almoço amanhã (dia de lasanha), eu compenso”.

“Não posso iniciar minha empresa. E SE der errado?”;

E tem também a procrastinação! “Não posso correr porque meu tênis é ruim”, “Não posso ir a academia hoje porque está muito cheia”, “Não posso trabalhar de casa porque meu computador é ruim”. Você realmente precisa do melhor tênis pra correr? A academia é cheia ou você que vai em um horário ruim? Você precisa do melhor computador do mundo para trabalhar?

Em resumo: Somos mimados, medrosos, irresponsáveis, imediatistas, descompromissados e não pensamos. Ah!!! E mentimos para nós mesmos, afinal, você não é assim 😀

Agora, como fugir desses traço da natureza humana? Como ser mais responsável, corajoso, calculista, compromissado e metódico? Como fazer acontecer?

DEIXEM suas respostas nos comentários.

Listagem de posts

  1. Identifique a raiz dos seus problemas com o método dos 6 por ques.
  2. Utilize as barreiras ao seu favor.
  3. Compromisso público.

Mão na massa!

Agora que você já sabe o que é dominar o mundocomo será o seu velório,  e pra que serve o plano, vamos por a mão na massa.

O que são metas

Metas são estágios intermediários para atingir um objetivo, que no nosso caso seria DOMINAR O MUNDO correr atrás dos nossos sonhos. Importante lembrar que as metas devem ser tangíveis (alcançáveis), ou você vai desanimar e morrer na praia.

Exemplos:

Este ano, quero ganhar na mega-sena!

Isso não depende de você, não está em suas mãos. O máximo que você pode fazer aqui é comprar o bilhete e torcer. Portanto escolha algo como: Este ano, quero poupar 25% do dinheiro que eu ganhar e investir em algo que dê um retorno superior a inflação.

Este ano quero ficar igual ao Brad Pitt

Acorda Batoré! Metas alcançáveis, lembra? Escolha mudar de visual, ficar menos gordo mais malhado, mudar de estilo, comprar roupas mais legais… mas pra ficar menos pior do que você é igual a um sex-symbol, só nascendo de novo.

Traçando o plano

Muitos dos nossos desejos dependem apenas de nós. E são nesses pontos que devemos focar. Emagrecer, ganhar mais dinheiro, viajar, casar (talvez não com quem a gente queira hehehe), abrir o próprio negócio, passar num concurso, aprender a dançar…

Se você fez o seu obituário, já tem em mente o seu objetivo maior. Agora pare e se pergunte: “Se eu fosse perfeito, daqui 5 anos, como seria minha vida?” Quanto dinheiro quero ter no banco, aonde irei morar, trabalharei com o que,  quanto dinheiro estará investido, serei financeiramente independente, casado, com filhos, que viagens terei feito, quais objetivos profissionais, quais os objetivos pessoais (físicos e psicológicos), saberei dançar que estilos, tocarei algum instrumento… não se limite, mas não viaje. Você entendeu a idéia: Escreva tudo isso num papel ou arquivo no computador (utilizo o XMind) e guarde com o título: “Metas para os próximos 5 anos”.

Eu sugiro separar suas metas em:

  • Profissionais: trabalho, dinheiro, cursos técnicos, faculdade, certificações
  • Pessoais: viagens, cursos não técnicos (dança, música, artes, culinária), saúde, aparência, comportamento (ansiedade, ciúmes, nervoso, paciência), religião, esportes
  • Relacionamento: amigos, familiares, animais

Segunda fase

De toda essa lista que você fez, o que pode ser feito esse ano? Não exagere querendo fazer tudo, e também não deixe a lista vazia: 2/5 da lista original já está de bom tamanho. Tente balancear entre objetivos profissionais, pessoais e de relacionamento. Novamente, escreva tudo isso e guarde chamando de “Metas para este ano”.

Finalmente

Olhe as “Metas para este ano” e identifique o que pode ser feito agora? Nesse mês? Novamente seja sincero com você, não queria fazer tudo, e também não fique sem fazer nada 1/10 da lista já está bom.

Qual o segredo?

Fazer um pouquinho de cada vez, mas sempre na direção do seu objetivo. Estabeleça metas simples, precisas e mensuráveis. Se você conseguir fazer apenas uma coisa por mês, no final de 10 anos terá realizado 120 itens!

Olhe, pelo menos semanalmente (guardo a minha na carteira), para sua lista e identifique o que pode ser feito neste momento. Se comprometa com sua lista mensal, todo mês, atualize ela, corte o que já foi feito e insira novos itens. Anualmente refaça a lista anual e revise os planos dos próximos 5 anos.

“Ao estabelecer metas, você pode não alcançar tudo o que queria, mas vai descobrir que conseguiu tudo o que precisava” – Autor desconhecido

Curso de mergulho

Consegui atingir mais uma meta esse ano.

A primeira foi criar esse blog, que está sendo uma experiência muito boa:  18 dias, 4 posts, 46 comentários, 400 visitas (apenas 1 dia sem visitas). Fiz uma nova imagem do topo, com o Pink e o Tentáculo Roxo(DOTT).

Mas a meta que venho falar é sobre o curso de mergulho que eu fiz no último final de semana. Como foi dito no meu obituário, um dos meus sonhos é mergulhar no Caribe (e após essa foto, na Ilha da Madeira – Portugal), e para isso, tinha que aprender a mergulhar, e queria fazer fiz isso este ano.

É algo fascinante, sem explicação ou comparação (e isso porque mergulhei numa piscina). A sensação de estar num ambiente diferente, respirando o ar do cilindro, sem gravidade (aprendemos a controlar a flutuabilidade). Me senti um astronauta!

Em março irei fazer o check-out. É uma espécie de prova, em alto-mar, que me habilita a mergulhar oficialmente. Eu fui muito bem nos exercícios na piscina. Então, não vejo a hora de ir pro mar procurar o Nemo. Depois faço um post descrevendo isso.